• Dra Regina Chamon

Sobre escolher feijões e cuidar de si

Hoje estava escolhendo feijão para cozinhar. Há quanto tempo não fazia isso… Não porque eu fizesse feijão sem escolher, mas porque há muito tempo eu não preparava a minha própria comida.

Ali, escolhendo feijões, fiquei concentrada, olhando com cuidado cada grão e separando aqueles que estavam bons dos que estavam feios, quebrados e até de algumas pedrinhas. Estava ali, colocando atenção no que eu iria comer. Avaliando e escolhendo a qualidade da minha própria comida. Brincando com alguns grãozinhos eu estava colocando afeto no preparo do meu alimento.

Escolher feijões envolve ter tempo para a escolha. Ter paciência com os grãos que não estão perfeitos, pois mesmo sem terem a forma perfeita, após cozidos eles serão muito saborosos.

Escolher feijões permite tirar o que não serve mais, o que não fará bem, ou o que será meio duro de engolir. Não precisamos de pedras no feijão, mas se não estivermos atentos à escolha, lá se vai um dente na mordida despreocupada!

Escolher feijões aguça o toque das mãos na textura dos grãos ou das pedrinhas. Muitas vezes dá até para sentir o cheiro dos grãos quando mexemos de um lado para o outro à procura das pedras. Escolher feijões aguça os sentidos!

Escolher feijões acalma os pensamentos atribulados e traz a cabeça para o agora, não se devendo pensar no cozimento do grão ou no momento da colheita. Para uma boa escolha é necessário manter a atenção apenas no agora.

Escolher feijões não é apenas escolher feijões.

Escolher feijões fala sobre cuidar de si.




1 visualização

© Regina Chamon - Medicina Integrativa.